Notícias

Escolha Universidade Canal Colégio Dom Felipe

O ensino médio chegou ao fim. Agora é hora de escolher a carreira do futuro e a universidade que irá melhor preparar o aluno para o mercado de trabalho. Mas, uma dúvida aflige a grande maioria dos jovens: como escolher a faculdade? Segundo o Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior do Estado de São Paulo (Semesp), só na capital paulista são mais de 130 universidades privadas. É importante o aluno conhecer alguns elementos que devem ser levados em consideração na comparação entre as faculdades para chegar àquela dos sonhos.

Por exemplo, você já analisou onde a faculdade fica e o que a infraestrutura dela oferece? Pesquisou a opinião dos alunos que já estudam lá? E a reputação dela no mercado de trabalho, é boa? Como é o prestígio acadêmico da universidade em que você está de olho? Finalmente, qual o custo e as formas de ingresso da instituição desejada? A diretora de Extensão e Assuntos Comunitários da Universidade Brasil, professora Rosa Beloto (foto), orientou que, em primeiro lugar, o jovem deve ter o gosto por determinada profissão, ou seja, ao menos saber qual carreira pretende seguir e depois acompanhar as tendências desta profissão no mercado de trabalho. “A partir daí, ele deverá sair em busca das universidades que oferecem o curso de sua escolha e analisar as estruturas acadêmica e administrativa das faculdades”.

Rosa-Beloto

Beloto disse que o jovem pode e deve ir conhecer a universidade. “Uma instituição séria e transparente, e com a mínima infraestrutura, deve oferecer a oportunidade para o aluno conhece-la, pois, assim, ele já vai sentir o ambiente universitário e terá uma melhor adaptação”, afirmou. Em entrevista para o Guia do Estudante (guiadoestudante.abril.com.br), o diretor pedagógico do Cursinho Oficina do Estudante, Célio Tasinafo, explicou que a primeira coisa que se deve analisar é a equipe de professores da instituição. Em tese, quanto maior o número de docentes titulares, com regime de dedicação exclusiva e títulos de mestrado e doutorado, melhores serão as aulas.

“As grandes universidades são grandes porque seus professores são pesquisadores e têm mais do que só especialização”, explica Tasinafo. “A diferença é grande entre professores em regime de dedicação exclusiva (o que acontece em universidades públicas) e os que são pagos de acordo com o número de aulas dadas. No último caso, eles acabam muitas vezes pegando uma carga excessiva de aulas e isso prejudica a preparação delas”.

Veja as dicas para acertar na escolha

 1. Analise a tradição

A história de uma faculdade é construída ao longo dos anos – e diariamente. Quanto mais tempo uma instituição de ensino se mantém relevante para o mercado ao lançar profissionais que realmente venham fazer a diferença nos setores de atuação, maior a sua credibilidade e a certeza de que ela esteja oferecendo cursos de ótima qualidade.

2. Conheça o corpo docente

Ao pensar em qual faculdade escolher é preciso avaliar o corpo docente, mas como fazer isso? Podemos destacar 3 formas: titulação (especialista, mestrado, doutorado ou PHD); renome, como é o caso de grandes juristas, médicos, etc, obras publicadas e palestras, avaliando o trabalho e a contribuição do profissional para sua área.

3. Verifique o conceito e a classificação do MEC

O conceito e classificação atribuídos às faculdades pelo Ministério da Educação (MEC) fornece informações de extrema importância para você. Dentre os quesitos avaliados estão o corpo docente, estrutura, pesquisa, extensão, gestão da instituição e responsabilidade social.

4. Preste atenção na infraestrutura

Pesquise sobre as salas de aula, estacionamentos e restaurantes das IES que você está analisando. Verifique se existem espaços de convivência, áreas verdes e áreas exclusivas para estudo. Busque por referências sobre os equipamentos e laboratórios específicos do curso que você deseja. A IES disponibiliza wi-fi gratuito para seus alunos? Quantos mil exemplares possuem na biblioteca? Todas essas informações ajudarão você a decidir como será a sua experiência na universidade.

5. Informe-se dos ex-alunos

Buscando por uma visão mais particular sobre a instituição que está começando a te cativar ? Os ex-alunos são os mais indicados para lhe auxiliar nessa empreitada. Além de poderem compartilhar com você suas impressões, ex-alunos também podem tirar muitas dúvidas. Encontre a instituição de ensino que você deseja estudar nas mídias sociais, veja o que os alunos comentam, quais são suas principais dúvidas e reclamações. Assim você terá acesso a informações relevantes de pessoas que viveram na prática a experiência da instituição.

6. Leve em conta estágios, convênios e monitorias

Nunca é cedo demais para colocar em prática o que aprendeu em sala de aula. Clínicas-escola, por exemplo, são experiências valiosas, pois inserem os alunos aos poucos na realidade do mercado. Por isso, busque uma instituição que ofereça suporte para você colocar em prática os conhecimentos adquiridos em seu curso. Com os estágios e parcerias você consegue se preparar melhor para as exigências do mercado de trabalho.

7. Lembre-se do que faz bem para você

Você passará, no mínimo, 2 anos na faculdade. Portanto, é fundamental que se sinta bem ao fazer parte dela, o que pode influenciar, inclusive, no seu desempenho na sala de aula. Já tem amigos na universidade que pretende ingressar? Eles podem ajudar você a se ambientar no primeiro contato com o campus. No mais, verifique se a instituição atende às suas expectativas – e da sua família, claro – avalie os valores das mensalidades, possibilidades de financiamento estudantil (Fies/ Prouni) e até mesmo bolsas de estudos fornecidas.